RUBRICA :
Publicado por: Cercimarante Em: 14 de Agosto de 2020

RUBRICA :

No nosso “Sabia Que...” de hoje, Sandra Peixoto, Nutricionista na nossa Instituição, aborda o tema: Obesidade – Um Problema de Peso.

 

Por todo o mundo, e Portugal não foge à regra, a obesidade tem vindo a aumentar de forma alarmante em todas as faixas etárias com início na infância.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a obesidade é considerada uma doença crónica frequentemente associada a complicações graves que reduzem a qualidade de vida dos doentes. Se não tomarmos medidas drásticas para prevenir e tratar a obesidade, mais de metade da população mundial será obesa em 2025.

 

A obesidade é considerada uma doença crónica frequentemente associada a complicações graves que reduzem a qualidade de vida dos doentes.”

 

Os indivíduos com excesso de peso ou obesidade apresentam maior risco de várias doenças especialmente, hipertensão arterial, diabetes mellitus tipo 2 (não insulino-dependente), alterações de triglicerídeos e colesterol sanguíneo, doença coronária, acidente vascular cerebral, apneia do sono, gota, osteoartrite e certos tipos de cancro, particularmente do ovário, da mama e do cólon. Para além de aumentar o risco de doença, a obesidade aumenta, também, o risco de mortalidade.

 

Quando se fala de obesidade é impossível não falar da componente psico-afectiva e sóciocultural que engloba o doente obeso. Acredito que, ninguém gosta de olhar para o espelho e ver que, tem “quilos a mais”, numa sociedade em que, o culto da estética assume um papel importante e em que, ser gordo não está na moda.

 

A etiologia da obesidade envolve diversos factores, particularmente, factores genéticos, metabólicos, ambientais e comportamentais. No entanto, é necessário compreender a contribuição destes factores no desenvolvimento da doença. É comum, as pessoas resignarem-se à sua obesidade porque, na família “todos são gordinhos”. Sabemos bem, que da família não se herdam só os genes mas também os hábitos. Na maior parte das situações o excesso de gordura corporal resulta não exclusivamente dos genes mas sim de sucessivos balanços energéticos positivos, em que a quantidade de energia ingerida é superior há quantidade de energia despendida, ou seja, adquire-se excesso de peso porque come-se mais do que o que se gasta. Para inverter esta situação é necessário, mudar o estilo de vida e os alvos desta mudança devem ser a alimentação e a atividade física. Os benefícios da perda intencional de peso num indivíduo com peso a mais ou obesidade são muitos, manifestando-se na saúde em geral, na melhoria das doenças crónicas associadas, na redução da mortalidade e numa melhor qualidade de vida.

 

A ajuda de um nutricionista é muitas vezes preponderante pois, em consulta, faz a avaliação do estado nutricional, determinação das necessidades nutricionais, planificação e supervisão de planos alimentares com base em dados clínicos, biométricos, bioquímicos e alimentares, tendo por objectivo a promoção da saúde e do bem-estar e a prevenção e tratamento da doença, de acordo com as respectivas regras científicas e técnicas.

 

Próximos Eventos

Mais Eventos

Facebook