Voltar

Intervenção Precoce na Infância: Cercimarante assina acordo de cooperação para implementação de Equipa Local de Intervenção, em Amarante

Foi assinado, a 11 de outubro, o acordo de cooperação que possibilita a implementação da Equipa Local de Intervenção (ELI) de Amarante, no âmbito da Intervenção Precoce na Infância (IPI). 
Presentes, nesta assinatura, estiveram, em representação da Cercimarante, o presidente do Conselho de Administração, Carlos Pereira, e a vice-presidente, Susana Mucha.
Pela Segurança Social, esteve a diretora do Núcleo de Respostas Sociais, Branca Martins.
A Cercimarante foi, deste modo, a Instituição Particular de Solidariedade Social (IPSS) escolhida, no concelho de Amarante, para fazer parte da ELI, enquadrada no Sistema Nacional de Intervenção Precoce na Infância (SNIPI), de onde resulta a IPI.
De referir que, o SNIPI funciona por articulação das estruturas representativas dos Ministérios do Trabalho e da Solidariedade Social, da Saúde e da Educação, em colaboração direta com as famílias.
Este acordo de cooperação também se justifica ter-se estabelecido com a Cercimarante, uma vez que já teve esta reposta, entre 1995 e 2006, através de um outro acordo de cooperação. Também entre junho de 2002 e maio de 2005, teve em funcionamento o projeto “Ser Criança”, que tinha como objetivo apoiar, igualmente, crianças dos zero aos seis anos de idade, com manifesto atraso de desenvolvimento global ou deficiência comprovada, provenientes de famílias disfuncionais e em situação de risco.
A Cooperativa vê, desta forma, aumentado o número de respostas sociais que, para além da IPI, tem já o Centro de Formação e Reabilitação Profissional (CFRP), Centro de Atividades Ocupacionais (I, II, III), Centro de Apoio Familiar e Aconselhamento Parental (CAFAP), Centro de Recursos para a Inclusão (CRI), Lar Residencial Amália Mota (LRAM), e Estrutura Residencial Para Idosos (ERPI).
 
"Intervenção para crianças dos zero aos seis anos"
A IPI constitui-se como uma resposta social, cujo acordo de cooperação abrange 60 crianças, dos zero aos seis anos, do concelho de Amarante, com alterações nas funções ou estruturas do corpo que limitam a participação nas atividades típicas para a respetiva idade e contexto social, ou com risco grave de atraso de desenvolvimento, bem como as suas famílias. 
Nesta nova resposta social considera-se, o conjunto de medidas de apoio integrado centrado na criança e na família, incluindo ações de natureza preventiva e reabilitativa, designadamente no âmbito da educação, da saúde e da ação social; qualquer risco de alteração que limite o normal desenvolvimento da criança e a sua participação, tendo em conta os referenciais de desenvolvimento próprios, consoante a idade e o contexto social, bem como a verificação de condições biológicas, psicoafectivas ou ambientais, que implicam uma alta probabilidade de atraso relevante no desenvolvimento da criança.
A ELI de Amarante é constituída por profissionais do Ministério da Saúde e Educação, e, através do acordo assinado entre a Segurança Social e a Cercimarante, esta última contribui, para a equipa, com uma psicóloga, uma terapeuta da fala e uma terapeuta ocupacional, cujas funções são desempenhadas a meio tempo.